DO ESCREVER COM SANGUE

Ah, se Pessoa falou
que o poeta é um fingidor
liberou geral?

Vamos fingir e mentir e esconder
até o verso tremer
de vergonha?

Sem o peso de alguma verdade
qualquer poesia
perde a leveza.

9 respostas

  1. Fábio, qual a razão de se perder a escrita em sangue? A resposta está em seu poema. Mentira! E o ser perde-se do trilho da transparência. Como somos muito mais propício no mentir, no que na verdade. E é aí que o fardo se torna pesado. Por que não nos inclinamos para a verdade? Ah, somos tolos ou medrosos!? Penso cá, pela tal rejeição e pensar de outros. A verdade conjuga por embriaguez em leveza, e no viver à vida em todo sua profundeza, assim o fardo ser torna tão suave, leve.Priscila Cáliga

  2. "Em o peso de alguma verdadequalquer poesia perde a leveza."Isto é genial!!!Quanto à tua perplexidade, manifestada em comentário no blog Mude, sossegue:Sou solteiro.Nunca me casei.Jamais trocarei meu estado civil original!Tive alguns relacionamentos duradouros (mais de seis meses), convivendo às vezes na mesma casa (mas sem repartir a mesma cama na hora do sono…) aos quais chamo, com a devida licença poética, de "casamento de artista"… rs!Abraços, flores, estrelas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *