A ALEGRIA DE ESTAR EM CASA QUANDO CHOVE

ela silencia
telefone sem fio
pingos na janela

expando meu coração infindo
entre dois estados
para colher olhares
sorrisos simples
um abraço imaginário
dentre tantos
quero os seus

entretanto
agora
água

a chuva lá fora
a chuva dos olhos
respingando na noite
e em seus cabelos negros

4 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *