QUERIDO DIÁRIO

Querido diário,

Contra o meu isolamento total do mundo (arduamente aprendido desde cedo), tentei você, ler, poetar, endeusar, cinema, gibis, religiões, me especializar com o Ryu no Street Fighter, tocar violão, RPG, namorar, música clássica e new age, Simpsons, séries estadunidenses, seitas secretas com anúncios em ônibus, 3 faculdades, 1 estágio, 2 empregos, casar, animes, loucamente me arriscar na paixão, fantasiar… Tentei ufologia, esoterismo, tarô, I-Ching, simbologia, Freud, rock, Nietzsche, Heráclito, Jung, caminhar, Yoga… Tentei de tudo. Mantive o poetar apenas… E continuei ansioso. E não me sentindo nada bem sozinho. Agora, com algumas noites de pânico, inclusive.

Sim, recentemente houve alguma abertura. Alguma melhora. Houve. É fato. Não basta. Outro fato.

Por isso mesmo, cogito na hipótese de ouvir o universo (na voz de uma antiga e querida mestra) e entrar na Somaterapia. Por mim e pela próxima mulher ao meu lado. Pelos amigos futuros… Por mim, sobretudo.

Após isso, estou oficialmente encerrando as buscas. (Não os poemas.)

Para todo o sempre. Eternamente. Até maio.

4 respostas

  1. Não me lembre isso. :)Estamos em maio e a perfeição além de não ter vindo pro alcance de minhas mãos, emudeceu…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *