FOLHAS (OU SOBRE COMO NÃO DESVIAR DAS BALAS)

a vida tão forte
borbulhando
tão viva
onde eu estava?

cansado de poetar
a magia da paixão certinha, medida, segura e planejada
eu caio na paixão real

inspiro

e mordo
brigo
bato
apanho
cravo
estrago
arrombo
sangro
corro
agarro
deixo
beijo
arrisco
arrisco
arrisco
me fodo
mas vivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *