AUTO-CARTA

Fabio,
aprende,
Fabio.

Já é hora.

Amor
não se escolhe
não se inicia
não se nomeia
não se compara
não se planeja:
se aceita…

Vem como vem
dos lugares menos possíveis
com os maiores problemas insolúveis
mas vem.

Aceita.

Senta aí um pouco…
Toma um gole de água.

Isso.

Ele nasce de uma invenção
vem do nada
e vai, então.

Aceita também.

Deita nesse colchão
faz um poema, liga o som
e dorme bem…

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=LveBAcZR7qI&hl=pt_BR&fs=1&&w=425&h=344]

17 respostas

  1. Hoje comecei a andar 7,5 km todo dia em vez de 5 e mesmo assim não consigo dormir. 🙂 Feliz. Criando e curtindo o que crio… Me reapaixonando pelo que já sei que vai acabar.

  2. Pelo menos você sabe que vai acabar, parceiro. Não se acabe junto! rsContinue criando, e caminhando, ou continue caminhando, e criando. rsAbraço!

  3. Oi, LadyConcordo quanto ao nascimento. Quando a morte, vario. Sua visão é compartilhada por Nelson Rodrigues: para ele o amor verdadeiro durava até depois da vida…Tudo de bom pra ti!

  4. Oi Fabio…Tô esperando pela próxima…Escrevi uma coisa pensando em ti, mas ainda não tive coragem de publicar, não sei se está a tua altura hehe. Se vc vê-la lá no meu blog, saberá qual é :)Abraço, amigo!

  5. Fábio,O comentário do Igor Andrade me lembrou a canção do Vandré, que no seu caso seria: caminhando e cantando e seguindo a poesia, que é canção mesmo, né?Do quartel da poesia,Pedro Ramúcio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *