A CASA: ACHADO E PERDIDO

vamos
vamos para dentro.

a casa, como eu sabia
não era linda
mas posso dizer
que nunca foi tão
como está…

ventos passam
mudam tudo de lugar
de um dia pro outro.

vamos
os degraus
juntos
são menores
de mãos dadas.

vou falar baixinho…

escuta
puxa um sofá
calma.

escuta
sem atrito
e grades
e espadas
por pelo menos nove estrofes?

o frio trago
em dias ímpares apenas
mas sei que aqueço quem o divide comigo
pares.

sei que sim
mesmo que não pareça
não vá ainda.

o frio aqui dentro
lá fora
é meu.

mas frio
é como aprendi
a amar.

nem houve tempo pra

o problema talvez não tenha sido mesmo
eu ter vivido em apenas um dia
sem saber
no susto
boa parte dos riscos
que evitei por 33 anos monásticos…

porque eu estava vivo nesse dia.
(um milagre)

mas se o amor não pode assim
a casa
está aberta ainda
para o assado
para o passado.

mesmo partindo você
em concreto silêncio
foi linda nossa dança
pela madrugada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *