TE ME LENDO, JULIA

e eis que a poesia
agora alça
de outra beira
gumercinda
mostra
que não é
só arte

muito menos
só parte

cada vez mais longe
de nós e paz e conformidade
rasgaremos a ilusão do real
(que não lê)
por um real
(ou uma revolução)

dá-me uma mão
lição
missão

obrigado

(pausa pra xingar mentalmente
o cara serrando algum piso na obra interminável aqui do lado
desde que o cachorro parou de latir e rimar)

Somos o encontro
o estrondo
tempestades se olhando.

2 respostas

  1. Um poema ácido é mais saboroso, Fabio. Mas o lírico também tem seu lugar, porque afinal existe.Un novo ano de muita alegria e sucesso pra você.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *