NASCENTE

O horizonte sangra
a hora alquímica
sobre as águas:
nem noite
nem dia.

A lua sorrindo
desvanece
junto com os luais
as estrelas
e os sonhos sexuais
da escuridão.

O dourado
traceja pinturas róseas
sobre o mar manso.

Luzes se apagam
seres noturnos se desfazem
deixando cheiro de cerveja no chão.

No céu
dragões de nuvens
bafejam
o azul da manhã.

E gaivotas
adoram em círculos
a esfera brilhante
que venceu mais uma vez
as profundezas.

2 respostas

  1. Sim, coloquei o relógio pras 7 pra ir pro curso e acordei as 4:30. Bom pra ver de novo o sol nascer na praia, andando… Quando gera um poema, vale a pena. :)(Pelo menos o sonho não se repetiu…) :PAbração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *