ONDA

O surfista
indiferente a olhares alheios
(ou à falta deles)
elegante voa
cortando azuis
do longe até a areia
percurso sinuoso
molhado
belo
arriscado
sempre incompleto
e inútil.

Sozinho
remar de volta
sorver horizontes
e esperar
paciente
a próxima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *