INSIGHT

De alguma forma
empurro as mais importantes mãos
que me amparam…

R-e-p-e-t-i-d-a-m-e-n-t-e…

Para não admitir
a dependência
da minha vida
a mãos outras.

(O sol saiu,
justo agora,
iluminando
minha metáfora…)

Sou a rosa morta
na encosta antiga
cheia de espinhos
precisando d´água.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *