UM POEMA DESCONTIDO, POR ENCANTO

Para Stella

Enquanto meu estômago se acaba a dentada
e mantenho nele a mal contida raiva
indigiro palavras não berradas…

Enquanto a vida oferece opções pasmas
e antepasso antepastos emprestados
assisto a nova fraude dos Caçadores de Fantasmas…

Enquanto o mundo te empurra a escolha
e você dança com o ar pro outro lado
esconjuro artifícios zarolhas
com um mago de um jogo inventado.

Enquanto desenho a florzinha matinal
e caminho na praia estuprada
saboreio o desprazer estomacal
de não resolver absolutamente nada.

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *