HÁ CALMA

De volta à noite
e seus sortilégios…

E volta a noite
e seus pirilampos imaginários
buzinas distantes
mosquitos mordendo a cara
palavras digitadas
hecatombes teóricas
reencontro nas redes
palavras e gentes
milagres em tela
buscando além da Matrix
ausentes presentes
que não me desistiram.

(Raros, raros…)

Através disso
existo.

Apesar disto
a calma
lá longe
me afaga
possível.

Possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *