LIBERTAÇÃO

Para o frei Dino

Não há exceção.

Por baixo dos panos pretos
que cobrem os abutres
padres freis frades freiras e fracos semelhantes
(essas pedras intermináveis contra a vida)
há sempre um recalcado
um mendicante de intelecto
com uma fé titubeante
desde que a Terra perdeu o centro do universo,
desde que milhões morreram em suas guerras por um Deus que não responde,
desde que milhares foram queimados em fogueiras sem motivo
(como meu estômago vermelho de úlcera e cólera).

Este recalcado, fraco e covarde ser
passa boa parte de seu não-viver
querendo cagar regras medonhas
sobre dogmas antigos
para acéfalos inúmeros.

Enquanto estava distante
já abominava
(ruminante, mas calmamente)
monografias afora,
apesar dos quase abusos sexuais contra familiares.

Porém, perto…

Perto…

Perto demais…

Perto,
quando da ocasião social formal formosa
(o que os vizinhos vão pensar?)
e a vida, receosa, me apresenta
este morto sem inconsciente
este dinossauro sob um manto negro sem simbolismo
este ser com o hálito podre de outros séculos
querendo duvidar da possibilidade de alguém ser poeta sem um papel comprobatório autenticado,
querendo mandar em como criar meus filhos como futuros acéfalos convictos,
querendo que fizéssemos promessas literais de não-aborto, não-sexo, não-separação,
querendo nos culpar por não irmos ouvi-lo aos sábados,
querendo analisar meu contracheque,
(considerando-se que isso tudo foi a sua demonstração de amizade pelos pais dela)
tudo em mim que era antes sangue
virou ira.

Esse ser fraco que não abre o maldito olho e me encara
(será que seu olho não quer ver o que ele fala?)
que me ouve respirar pesado, vermelho e treme
que não responde as minhas perguntas diretas
que me roubou um sábado da existência feliz
merece um poema.

Merece um poema
já que evitei o murro.
Infelizmente.

Este poema lhe deixo como agradecimento,
meu caro frei bento,
pela honra de não ter que fazer
curso de noivo
pro casamento…

Sim, senhora psicanalista:
raiva também de mim mesmo
antes de tudo por cogitar em casar
na Igreja Católica Apostólica Romana.

Burro.
Só faltava ter sido nos Estados Unidos.

(Talvez haja exceção
mas ela que vá pro inferno,
e entregue ao meu querido Diabo
um papel comprobatório
por falar em nome de Deus.)

 

A pastoral do dízimo tem como finalidade acolher, cadastrar, receber e organizar o pagamento dos dizimistas que temem a morte como finutude, além de divulgar a importância desta contribuição para o ouro do Vaticano. O dízimo pode ser pago no horário das missas de sábado e domingo, através de boleto bancário, bankline, cartão de crédito Visa ou Mastercard, ou ainda pelo disque-dízimo. Durante a semana, poderia ser pago na secretaria em notas de cinquenta ou cem reais apenas. Sorria: você está na Barra e Jesus te ama.

GUERRA JUNQUEIRO – trecho final do poema “O MELRO”, do livro “A VELHICE DO PADRE ETERNO”

“Há mais fé e há mais verdade, / Há mais Deus com certeza / Nos cardos secos dum rochedo nu / Que nessa Bíblia antiga Ó Natureza, / A única Bíblia verdadeira és tu!…”

“Talvez não existam psicanalistas no futuro, mas haverá padres.” Jaques Lacan

“Os dois grandes narcóticos europeus, o álcool e o cristianismo.” Nietzsche

“Ainda que Deus existisse, nada mudaria. O homem nada mais é do que aquilo que ele faz de si mesmo.” Jean Paul Sartre

“Deus é um conceito pelo qual medimos nossa dor.” John Lennon

Sincronicidades: um incêndio começou na minha janela, enquanto escrevia este poema. Na vegetação da Pedra do Pontal, que marca o início da Praia do Pontal, famosa pela música “Do Leme ao Pontal” do Tim Maia. No dia seguinte, veio a seguinte sorte num biscoito chinês: um incêndio começa com a menor das fagulhas.

Mais posts sobre o tema:
/c/anti-igreja
http://filosofando-fabio-rocha.blogspot.com.br/ 

6f71b lord

Na Primeira Epístola aos Coríntios (7, 20-24), Paulo sentencia: “Que cada um fique no estado em que foi chamado. Foste chamado sendo escravo? Não te dê cuidado; mas se ainda podes tornar-te livre, aproveita a oportunidade! Pois aquele que foi chamado no Senhor, mesmo sendo escravo, é um liberto do Senhor; e assim também, o que foi chamado sendo livre, escravo é de Cristo. Por preço fostes comprados; mas vos façais escravos de homens!”
O conceito é repetido em Efésios 6, 5: “Escravos, obedecei aos vossos senhores com devoção e temor, servi com solicitude, como se se tratasse do próprio Senhor, e não de homens”.
O que valia para os escravos também valia para as mulheres: “As mulheres sejam submissas a seus maridos como ao Senhor, pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, aquele que é o salvador de seu corpo. E como a Igreja é submissa a Cristo, assim também o sejam em tudo as mulheres a seus maridos”.11
“Como em todas as comunidades de fiéis, que as mulheres se calem nas assembléias, pois não lhes é permitido falar; que estejam submissas, como diz a lei. Se quiserem aprender algo, que perguntem em casa, a seus maridos, pois não convém a uma mulher falar na assembléia.”12 Se os primeiros apóstolos tivessem se comportado assim, as mulheres dificilmente os teriam avisado da ressurreição de Cristo.
E o conceito se repete na Primeira Epístola a Timóteo (2, 11-15): “A mulher aprenda em silêncio com toda a submissão. Pois não permito que a mulher ensine nem tenha domínio sobre o homem, mas que esteja em silêncio. Porque primeiro foi formado Adão, depois Eva. E Adão não foi enganado, mas a mulher, sendo enganada, caiu em transgressão; salvar-se-á, todavia, dando à luz filhos, se permanecer com sobriedade na fé, na caridade e na santificação, com modéstia.”
Paulo, que para outros aspectos considerava a lei judaica superada (por exemplo, as proibições alimentares), no caso das mulheres, abriu uma exceção e retomou hábitos judaicos, como o costume de cobrir a cabeça nas cerimônias.
“O homem não deve cobrir a cabeça, pois é a imagem e glória de Deus; a mulher, em compensação, é a glória do homem. E, de fato, o homem não deriva da mulher, mas a mulher deriva do homem; nem foi o homem criado pela mulher, mas a mulher criada pelo homem. Por isso, a mulher deve usar na cabeça um sinal de sua dependência, por causa dos anjos […] Julgai entre vós mesmos: é conveniente que uma mulher ore a Deus com a cabeça descoberta? Não vos ensina a própria natureza que é indecoroso para um homem deixar o cabelo crescer, enquanto, para a mulher, o cabelo comprido é uma glória? Pois a cabeleira foi-lhe dada no lugar do véu. Mas se alguém quiser contestar, não temos esse costume, nem as Igrejas de Deus.”

O Livro Negro do Cristianismo (trecho)

6 respostas

  1. Um grande poema, meu amigo!Eu ando ainda mais cansado dessa falácia religiosa desses "acéfalos convictos".Gostaria de escrever algo tão forte e furioso.Abraço!

  2. HUHAUHAUHUHUHHAHAUHAUHAUHAUHAUHUAHUAHEu ADORARIA que minha face pudesse ser vista enquanto dou essa risada! Poderiam até fazer um novo coringa!Deixe-me ressucitar um de meus falecidos (cruxificado, no caso) poemas….Em nome da cruzEm nome da cruz continua a marchaO sacro-santo símbolo da morte perto ao coraçãoAs tochas queimando sempre a mãoEm homenagem ao santo da procissão que seguePela espada segura de cabeça pra baixoErguem espadas de lâmina afiadaAcorrentam bruxas, afugentam fadasPelo bem da virgem de prole fartaCrescei e multiplicai-vos, diz o ditadoMas por favor, não procriai-vosCrescei, crescei grandementeMas apenas embaixo da abóboda sim?Em nome da cruz eles vêm a mimMorte aos que matam, dor aos que a causamDê-me seu ouro e perdoados pecadosO caminho do céu tem um mapa à quem pode comprá-loPelo símbolo da morte continua a marchaNão a inverta ou sentirá a facaPedro a inverteu e o idolatramosMas ele era santo e tu não tantoA salvação há apenas naquele que éMas vá a igreja, pague pela féNão idolatre homens ou símbolosApenas os santos, a cruz, o pai dos pais…Glória aos pais sem filhos legítimosQue passam adiante a bastarda hereditariedadeDeus salvará das chamas os purosMas não preciso provar, desperdício de fogoO único caminho é a igreja pelo homem inventadaQueimam Eva, Noé, Abel e até CristoFiéis mortos antes da invenção destaDeus está em todo lugar, mas você tem que ir visitarOuça o pai-nosso, a prece mais puraMas incompleta, ouça mil outras maisSomos os símbolos da compaixãoDa heresia, falsidade e traiçãoNão há caminho do meio de olhos vendadosApenas bons e maus de olhos fechadosUm dos meus poemas favoritos. Fato, encontros de filósofos e poetas com padres comummente resultam em ira e risadas. Frequentemente um com a ira e outro com a risada.Ja-ne. E pensar que o dia começou bem.

  3. Obrigado, Ígor!Shonin, puuuuutz, que poema bom!Que bom sentir uma união na revolta contra essa hipocrisia, nessa idiotice secular que pais perpetuam em filhos mais ou menos crentes, que mais ou menos vão deixando, pelo costume ou pela conveniência, que bestas como essa sigam vivendo do dinheiro de quem doa e se enchendo de ouro ao invés de seguir a caridade cristã… Meu radicalismo contra isso agora está aceso! :)Bom ter mais loucos comigo… 😀

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *