Sobre a menina estuprada e o arcebispo excomungador

eaf0d lord

Impressionante como Nietzsche e seu anticristianismo é necessário e atual ainda hoje. Como se não bastasse usar saias e negar a vida, esses padrecos sem nada para fazer se acham ainda no direito de perseguir, julgar e condenar. Tudo ao contrário, aliás, do que está escrito em todos os evangelhos que Jesus pregava. Como se não bastassem as injustiças históricas, os abusos sexuais contra menores, as guerras, os atrasos na Ciência, a Igreja Católica consegue se superar sempre… Aí vai um cordel de divina inspiração, de Miguezim de Princesa, e uma bela carta sobre essa palhaçada, que o amigo Simões me enviou por e-mail.

A excomunhão da vítima

(Miguezim de Princesa)

I
Peço à musa do improviso
Que me dê inspiração,
Ciência e sabedoria,
Inteligência e razão,
Peço que Deus que me proteja
Para falar de uma igreja
Que comete aberração.

II
Pelas fogueiras que arderam
No tempo da Inquisição,
Pelas mulheres queimadas
Sem apelo ou compaixão,
Pensava que o Vaticano
Tinha mudado de plano,
Abolido a excomunhão.

III
Mas o bispo Dom José,
Um homem conservador,
Tratou com impiedade
A vítima de um estuprador,
Massacrada e abusada,
Sofrida e violentada,
Sem futuro e sem amor.

IV
Depois que houve o estupro,
A menina engravidou.
Ela só tem nove anos,
A Justiça autorizou
Que a criança abortasse
Antes que a vida brotasse
Um fruto do desamor.

V
O aborto, já previsto
Na nossa legislação,
Teve o apoio declarado
Do ministro Temporão,
Que é médico bom e zeloso,
E mostrou ser corajoso
Ao enfrentar a questão.

VI
Além de excomungar
O ministro Temporão,
Dom José excomungou
Da menina, sem razão,
A mãe, a vó e a tia
E se brincar puniria
Até a quarta geração.

VII
É esquisito que a igreja,
Que tanto prega o perdão,
Resolva excomungar médicos
Que cumpriram sua missão
E num beco sem saída
Livraram uma pobre vida
Do fel da desilusão.

VIII
Mas o mundo está virado
E cheio de desatinos:
Missa virou presepada,
Tem dança até do pepino,
Padre que usa bermuda,
Deixando mulher buchuda
E bolindo com os meninos.

IX
Milhões morrendo de Aids:
É grande a devastação,
Mas a igreja acha bom
Furunfar sem proteção
E o padre prega na missa
Que camisinha na lingüiça
É uma coisa do Cão.

X
E esta quem me contou
Foi Lima do Camarão:
Dom José excomungou
A equipe de plantão,
A família da menina
E o ministro Temporão,
Mas para o estuprador,
Que por certo perdoou,
O arcebispo reservou
A vaga de sacristão.

CARTA ABERTA AO ARCEBISPO DE OLINDA E RECIFE, D. JOSÉ CARDOSO SOBRINHO

Caro D. José Cardoso;

Escrevo sobre a excomunhão dos médicos que praticaram o aborto dos gêmeos da menina estuprada pelo padrasto, em Pernambuco.

Inicialmente, digo que não pretendo questionar ou criticar sua decisão: o senhor agiu corretamente, em consonância com os dogmas e postulados da Igreja Católica.

Gostaria de pedir, isso sim, que já que o senhor está tomado pelo espírito de justiça segundo as Leis de Deus e as normas da Igreja, que prosseguisse com as excomunhões. Sugiro, por exemplo, que excomungue os políticos e servidores públicos corruptos, eis que eles violaram um Mandamento da Lei de Deus (não furtarás).

De quebra, o senhor poderia também excomungar os padres pedófilos, já que eles pecaram -de forma gravíssima, pecado mortal! Aliás, eu gostaria de perguntar: o criminoso e pecador padrasto da pobre menina violentada, esse foi excomungado?

Prosseguindo, o senhor deveria excomungar também as mulheres católicas que usam anticoncepcionais e os jovens católicos que fazem sexo antes do casamento usando camisinha, pois eles pecam contra a castidade, usando de artifícios para ter sexo apenas por prazer, e não para procriação.

Também excomungue os católicos divorciados, já que estes estão em permanente adultério. E já que está com a mão na caneta, aproveite e excomungue também os homens católicos que tem amantes, uma vez que estes também são adúlteros.

São as minhas humildes sugestões ao senhor, pelo bem do cumprimento da Lei de Deus!

Atenciosamente,

Alan Lacerda de Souza
Advogado e Professor
Brasília/DF

P.S.: A mim o senhor não precisa se preocupar em excomungar: de acordo com o cânon 751 do Cód. de Direito Canônico eu sou um herege, e por isso já fui excomungado latae sententiae, segundo o cânon 1.364, § 1º. Graças a Deus!

5 respostas

  1. Excelente cordel (como há muito tempo não lia!)…Quanto ao caso… há pouco escrevi:Sensações visceraisdo imo,do âmago,do íntimo,do “estômato”prosopopeicode um seronomatopeicoque, laico,lacônico,emudecefrente a face afoitade um pária,falsário e ordinário,que ousa erguer suas “patas”para a criança inocente,até então intacta,imóvel, imune…E o pária,protegido por seus pares,permanece doente, sem remorso,amorfo, impune.Que é de a mãe da criança? Não viu a atrocidade?Que é de seu coração de mãe? Perdeu a capacidadede ver o perigo que rondava a criança?Que é de a criança?Que é de sua infância?Que é de sua inocência?Que é de os fetos que não chegaram a ser afetos?O futuro? Não sei. Sei lá.Lá adiante, logo ali, Deus espera.

  2. Obrigado pelos comentários!!Realmente, acho também, como Lennon cantou em “Imagine”, que um mundo sem religiões seria bem melhor…

  3. Criaríamos novas se não houvessem. Acho que são uma necessidade humana em alguns momentos ou para algumas pessoas. Ainda acho que fazem bem para alguns…para os doentes e desesperados principalmente… mas talvez esses levassem bem a vida mesmo sem crença. Por eles mesmos. De qualquer forma o mundo seria melhor sem maldade, sem desrespeito, sem injustica, sem dor, sem doença… Mas não é…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *