TEMPO

Leio Walt Whitman
no rosto do velho barbado
há 90 anos no Ceará
com cada osso torto
e calor
e sofrer
e silêncio contemplativo.

Meu avô.

Seus olhos vêem o mesmo todo.

Vou viver.

Os cheiros da infância feliz
encontraram algum secreto caminho
pro apartamento de hoje.

3 respostas

  1. Nossa, que lindo poema! E que bela homenagem ao avô. Bom que esteja sentindo cheiros de infância feliz, de lar e aconchego 🙂 Até me deixou emocionada. Pra mim é um de seus melhores poemas. Tão sensível e maduro… beijos de uma fã rs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *