VICKY CRISTINA BARCELONA

Vicky Cristina Barcelona, o mais recente filme de Woody Allen, consegue a grande proeza de falar do amor (sim, o amor) sem julgar seus variados e variáveis tipos, formas, maneiras, manias e cores. Leve e tranqüilo, com personagens não estereotipados, trata-se de uma obra-prima suave, na medida certa, sem certezas gritantes ou a pressa de julgar característica da crítica (de desconhecidos) do nosso tempo, que acredita firmemente, neste caso, que um olho que viu muito cinza não pode nunca se abrir para as cores… Um poema, enquanto a empolgação ainda está quente:

VICKY CRISTINA BARCELONA

Laranja doce e vermelho telhado
toque de tinta na tela e na pele
toque de ser na lente e paisagem
todo tipo de amor é possível
todo encontro profundo
é sagrado.

3 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *