FOLHAS

Quando novembro chegar
quero a paz de outono
das estradas vazias de gentes.

2 respostas

  1. Grato pela visita ao Balaio, meu caro. E gostei dessas “folhas”… Vou espiar o seu blogue: outras postagens, outros poemas. Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *