LEMBRANÇAS DE UM VERÃO

Sincronicidades precedem
um novo nascer.

Quis chorar
nesse filme
tudo o que não falei.
Esqueci de respirar
e nada criei dos olhos cansados.

Só da alma:
e uma lua em taça
se enche de branco no lago negro e frio.

Mas o disco voador
o disco voador que toco na janela do sonho
(“Se são do bem, aproximem-se”)
parte.

Parte de mim.

Zunindo
tonto
fico.

(após assistir LEMBRANÇAS DE UM VERÃO e sonhar com um UFO…) 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *