NOT TO BE

Freudiana número 1:
Com meu pai aprendi a não dizer.
Com minha mãe, a não ouvir.

3 respostas

  1. Legal! Te deixo uma de presente, nobre poeta(já que o campo é psicanalítico!) Aliás, duas:Do sintoma histéricoSim toma meu amor, Não toma meu amor Eternamente… E terna mente por prazerSincera mente de verdade Porque o desejo só quer desejarE não é possível colocar alguma coisa No lugar de coisa alguma Com tato prejudicadoSe eu não comigo, eu não consigo… Eu não contigo…Eu não com mais ninguém…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *