DA GRIPE INTERMINÁVEL

Noite mansa
que afaga e cansa
sonho de sombra enluarada
entre a palavra
e o frio

2 respostas

  1. Gripe interminável? Eu conheço uma que não me larga.Seus poemas curtos sempre me preenchem de admiração e medo.Admiração porque os vejo como poemas inalcançáveis que minhas habilidades jamais alcançarão.Medo porque eles sempre me passam a sensação de que estou diante de algo grandioso escondido em poucas palavras, como se visse um deus escondido na forma de um homem.Me lembrou um soneto meu sobre frio e morte, mas cadê que eu acho ele agora?Ja-ne. To com medo do resultado das provas…

  2. Oi, MoisésObrigado pela leitura e comentário quase diário. XDPô, vai fazer um mês que tô gripado. :)As poucas palavras de um poema podem ser também algo que não fiz nada, mas envolto em mistério… 🙂 O mais importante da gente procurar é nosso estilo, eu acho.Cara, não te acho no Puzzle Pirates mais, que uma CREW brasileira me chamou e aceitei… Quando for jogar me liga?Ah, quanto às provas… O que provam as provas?Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *