COMO ESTIMULAR O TRANSPORTE COLETIVO CONSIDERANDO-SE:

– Custo para ir de Higienopólis para o Maracanã cinco vezes por semana de carro a gás 1.0, com ar condicionado, ouvindo CDs, em 25 minutos, em dias de trânsito pior: menos de R$ 20,00;

– Custo para ir de Higienopólis para o Maracanã cinco vezes por semana de metrô, suando na linha 2 hiperlotada (poucos trens aumentam o lucro deles) e quente, suando na correria humana como um gado, da troca de linha na estação de Estácio, e suando na linha 1 hiperlotada e não tão quente, obviamente o tempo todo em pé e espremido e com dificuldade respiratória e com tendência a síndrome do pânico, ouvindo os gritos das grávidas quase parindo por falta de espaço, em 40 minutos: mais de R$ 25,00.

OBSERVAÇÃO RELEVANTE: O metrô do Rio de Janeiro é o mais caro do Brasil (R$ 2,60) e acaba de ter aumento.

Aproveitando o tópico reclamativo-denunciativo sobre o Rio de Janeiro, falemos sobre a dengue: há anos não vejo passar mais um carro anti-mosquito – fumacet, fummassê, fumacet – (a não ser nos condomínios que pagam) e não batem mais aqui em casa os caras que colocavam o pozinho anti-larvas nos vasos e ralos e ainda anotavam num papelzinho grudado na porta sobre as visitas. Mas nosso governo deve estar usando algo mágico agora para prevenir a dengue. Estou tranquilo para 2009.

E a UERJ? Como não falar da UERJ com bolsas para alunos (R$ 190,00) e salários de professores e funcionários sem aumento há mais de 8 anos? Não se faz mais greve lá esse ano simplesmente porque há 8 anos se faz greve e nada adianta, só prejudicando o próprio ensino, mas continua o mesmo absurdo.

2 respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *