A MEU AVÔ

Num dia de chuva fria
Salvador achou silêncio
e me tocou música
de rádio de pilha.

Deixou ligadas
conversas
sorrisos
tempos bons
portas abertas
idéias do contra
e açúcar no fundo das canecas…

Uma estrada simples
a se levar pra frente
sem terras ou guerras.

8a36d dsc00720
Série de fotos no Parque Lage, Rio de Janeiro, RJ.

2 respostas

  1. Fabio!Atrasado nesse meu comentário, mas não poderia ficar sem deixar umas poucas palavras aqui.Adorei seu poema, vejo que guarda com carinho algumas lembranças felizes, que eles, nossos avós, jamais sonhariam que aquelas coisas simples como açúcar no fundo das canecas… um dia, para nós distantes netos, se tornariam em objetos de poemas… Parabéns, como sempre.Abraços do AmigoHay

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *