OS DESAFIOS DA TERAPIA, DA VIDA E DO ENCONTRO

Distrações boas à tentativa de leitura. Vozes dos pais na sala. Yalom diz que criatividade e sensibilidade geram ansiedade. Assim, minha tontura de final de ano se acalma com uma causa. A maciez do teclado onde crio chama sem queimar… E venho escrever detalhes sem relevância. O que é a vida senão detalhes sem relevância? Vontade de me encontrar em profundidade com o outro. Isso que me faz criar é o que me anima também a me formar como psicanalista ou dar aulas. Mas ando desanimado com aulas, ultimamente. Muitos metódicos atravancando o caminho. Sim, também tenho um lado metódico, mas não consigo ver o mundo de um ponto de vista muito metódico sem sentir o peso de algum ressentimento. Nietzsche. Tenho que ir além de Nietzsche algum dia em minha vida, libertar meu pensar de seu martelo. Meu pensar, aliás, importa menos que meu sentir. Chove fraquinho. Deve dar para andar hoje à tarde com meu amor, entre árvores.

2 respostas

  1. Andar com seu amor entre árvores já é ir além de Nietzsche.Belo texto!E o que não é relevante pode ser revelante…Abraços flores estrelas!

  2. Edson, amigo, bela leitura você fez do meu desabafo… Realmente, Nietzche nunca conseguiu a proeza de andar por entre as árvores da vida com um amor como o meu… Abração

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *