QUASE SÍNDROME

por medo do medo
me contive pequenino
me prendi a detalhes

não toquei a flauta de Pã
por medo do pânico

e justamente por isso
ele veio no estômago

e continuei sozinho

uma preguiça
uma tristeza
de me ver

enquanto todo o corpo
já sabia a poesia

0f45b 06 12 07 1732

4 respostas

  1. Que pinguem em seus ouvidos e pensamentos, apenas gotas de orvalho… leves e prazeirosas, trazendo a paz e beleza das primeiras horas do dia. Beijos meus 🙂

  2. É, meu amigo inspirador… Muitas vezes o corpo explode em dor ou poesia ou sintoma, antes de entendermos o porquê racional disso (se é que existe uma causa para tudo…). 🙂 Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *