TV FECHADA E ABERTA: QUASE A MESMA META

Esse poema
é uma singela homenagem
que não chega aos pés da profundidade
do maravilhoso programa da tv a cabo
que vem logo após a Oprah
sobre cães tão gordos quanto seus donos estadunidenses
agradecendo também ao Faustão
que já é um como um sócio aqui
desde o início do blog.

É favor ignorar os magros estendendo as mãos magras nos sinais de trânsito da esquina,
os atendentes de telemarketing sem proteínas no cérebro suficientes para contar até 1,
as universidades caindo e/ou em chamas
não necessariamente nessa ordem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *