DA PRORROGAÇÃO DO PRAZER

Alisar ladrilhos ferventes
na plenitude da calma
sem que a vontade da palma passe
e sem rimar a alma…

Lamber granitos intumescentes
também com unhas e dentes
até que o grito rasgue a garganta
tentando conter
(insuficientemente)
a rima.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *