ARDE

Uma rosa verde
no cabelo roxo
um canto soprado
por uma soprano
uma tarde antiga
uma tarde exígua
uma tarde
dentro
da manhã
que nunca

7 respostas

  1. Fabio!Gostei!!!Como disse Carlos Drumond, numa bela síntese de Micheliny Verunschk:“Lutar com palavrasé a luta mais vã, no entanto, lutamos, mal rompe a manhã. São muitas. Eu pouco. Você não parece lutar com elas, o que para mim é um espanto. Elas fluem, se aninham. Quisera eu essa tranqüilidade…”Abraços do AmigoHay

  2. Nunca é muito tempo… hehehe… e se arde, pois inflama… de qual sentimento não sei… mas se arde é pq clama….Lindo!!!Beijos e boa semanaMila

  3. Nossa, quantas visitas e comentários, obrigado, gente! Isso que dá ter o modem quebrado e atualizar pouco… 🙂 Ao menos uma vantagem!Meu amigo Hay, que bom que a luta interna não aparece, pelo menos, no resultado final! :DEdson, agora fiquei em dúvida quanto ao circunflexo voador… :)Mila, boa semana pra você também! :DObrigado a todos pela leitura!!

  4. Gosto particularmente da forma como o último verso pode delicadamente ligar-se ao título e o poema “brilhar” de novo… e de novo… 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *