POESIA NUA

Num barco vagaroso
Quintana me sorri
por mares de encontro

Carvalhos acenam
das montanhas

Venta um centenário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *