DEDICATÓRIA

(Para Maria Clara, namorada de Eduardo)

Achando interessante
a lei anti-universal
em que semelhante atrai semelhante
segue esse CORTE no real
no vasto deserto do real árduo
e uma forçada na rima genial
agradecendo o sorriso de Duardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *