AR FALTO

Odeio dirigir.

Tendo a me sentir competindo… E esse meu lado competitivo, que é enorme, quer chegar antes, quer bater em toda kombi velha que viola as leis de trânsito desse mundo sem lei e ordem – ainda bem – amém.

Mas quando vou bem rápido, passando dos cento e vinte, se há uma música perfeita tocando, se estou sintonizado no momento presente, tendo a esticar os braços e me imaginar num vôo. Num vôo de verdade. Num vôo de vontade. Acontece mais de noite. Talvez eu morra, mas morro feliz.

Adoro dirigir.

(Fabio Rocha – 14/6/2007)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *