AO SER HUMANO

Não gosto de lugar cheio
não gosto de barulho
não gosto de pagar caro
não gosto de ser burguês
não gosto de ser humano
(mas preciso deles).

Uma resposta

  1. Difícil é admitir (pra mim mesmo), mas também é minha a voz que fala no poema. Perdida, pouco integrada, cabeça longe, esboçando um sorriso… beijos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *