DA ÁRVORE NO MONTE

Zaratustra corrói:
sem amanhã,
o libertino íntimo
mata o herói.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *