VIVI

Encontrar a alma antiga
agora
aberta
diferentemente a mesma
no entanto
mais
traz a lembrança
de um futuro
e paz
que hoje saboreio
sem depois.

2 respostas

  1. Noto e sinto uma “saborosa” mudança nos teus poemas (na forma peculiar de te expressares)… Interessante perceber essa transformação… (algo subtil, mas está lá)!Continua sentindo, vivendo, absorvendo… Só assim faz sentido! «No futuro estará sempre presente o nosso passado.» Bom ou mau? Não sei. Mas, a cada um de nós, cabe a astúcia e a inteligência de extrair o melhor de cada um deles. :))

  2. “a lembrança de um futuro que hoje saboreio sem depois”.Que coisa mais linda, Fábio!Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.Abraços, flores, estrelas..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *