ARQUÉTIPO

Desde muito jovem, Alceu sentia que tinha algo importante a fazer. Lia os gibis de super-heróis se vendo em cada um deles. Aventura, desafios e vitória! Não cria em Deus desde que começou a pensar, pois queria ser como um. Não quanto a adoração, mas quanto ao poder e a criação… E parecia que todos, o mundo, a vida, o destino, tudo ajudava-o a seguir nessa direção. Coincidências, estranhas harmonias, sinais, símbolos e sincronicidades lhe indicavam claramente o caminho certo: ser mais.

(Fabio Rocha – 04/03/2007)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *