IRON MAIDEN

Para Carol

Por trás das máscaras de ferro
que carregamos todos sobre os ternos
(uniformes eternos)
há os sapatos de renome
pretos como a noite
de que as almas escondidas
não falam
caminhando sobre o inferno.

Uma resposta

  1. Bem profundo e forte este poema! Primeira vez que leio algo teu assim… tão pesado e negativo!Mas muito bem escrito! Gostei. Parabéns! Para pensar(!?)… mais uma partilha:”As pessoas afivelam uma máscara, e ao cabo de alguns anos acreditam piamente que é ela o seu verdadeiro rosto. E quando a gente lha arranca, ficam em carne viva, doridas e desesperadas, incapazes de compreender que o gesto violento foi a melhor prova de respeito que poderíamos dar.” (Miguel Torga)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *