TUDO O MESMO: TUDO NOVO

Abri a janela cansada
enferrujada de pó
por não ser usada.

Abri a janela de calma
de alma pronta
pro vento a favor
não mais contra.

Uma resposta

  1. Olá poeta…Encontrei o vosso espaço virtual por acaso…E nunca amei um acaso assim!!! =]São de ótimo gosto as tuas poesias,sintéticas dizem muito…Parabéns,quero voltar outras vezes e levar comigo as impressões que deixam as tuas citações…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *